Agenda Março

Por Programa

APJ-Rio

EXPOSIÇÃO

Mulheres a hora e a voz – Direitos, conquistas e desafios
Para celebrar a efeméride do aniversário de 30 anos da Constituição Federal e homenagear as mulheres brasileiras que participaram ativamente no processo constituinte, o CCMJ apresenta a exposição MULHERES, A HORA E A VOZ.  A mostra é conduzida pelas vozes de quatro mulheres que estiveram à frente da campanha “Mulher e Constituinte”, liderada pelo Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM): Comba Marques Porto, Jacqueline Pitanguy, Leila Linhares e Schuma Schumaher. O visitante poderá apreciar fotos históricas de diversos acervos públicos e particulares, vídeos de campanhas e de imagens da época. Interativa, a mostra conta com um enorme painel, onde o público poderá fazer selfies e assim integrar uma passeata do movimento feminista. Pequenas faixas com lemas de campanhas como “Quem ama não mata” também estão disponíveis para fotos. Uma linha do tempo pontua marcos mundiais e brasileiros do feminismo, como o início do Movimento Sufragista, em 1948, nos Estados Unidos, e curiosidades, como o ano de 1922, no qual foi garantido o ingresso de mulheres ao colégio Pedro II no Rio de Janeiro.

Visitação: até 31 de maio

De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h, e sábado, das 14h às 18h, Salão dos Bustos | Entrada franca | Agendamento de grupos: 3133-3366 / 3133-3368

 

TRIBUNA LIVRE

“Seja protagonista da sua vida” – Ciclo de Leituras e Debates, Uma homenagem à mulher pela obra de Carmem da Silva
No mês que se homenageia a mulher, o CCMJ reunirá artistas, advogados, escritores, juízes, psicanalistas em torno da obra da psicanalista, jornalista e escritora, brasileira Carmem da Silva (31/12/1919 a 29/4/1985). Carmem foi uma das precursoras do feminismo de segunda onda no país. Durante 22 anos ininterruptos, entre 1963 e 1984, redigiu a coluna "A arte de ser mulher" na revista Claudia, da Editora Abril. A coluna antecipou alguns dos debates que seriam encampados pelo movimento feminista do Brasil. Os encontros serão realizados no salão dos Bustos, local onde está exposta a exposição “Mulheres, a hora e a voz”.

Idealização: Comba Marques Porto

Coordenação Geral e Direção das Leituras: Silvia Monte

25/3, segunda-feira, 19h

TEMA: “O papel de Carmem da Silva na formação da consciência feminista e nas articulações do movimento feminista das décadas 1970/1980”

LEITURA de trechos de artigos

MESA:

Comba Marques Porto – Advogada, juíza aposentada da magistratura trabalhista, consultora jurídica

Jacqueline Pitanguy – Socióloga e cientista política.

Leila Linhares Barsted – Advogada.

Malu Heilborn – Historiadora, Doutora em Antropologia Social.

COORDENADORA: Adriana Ramos de Mello – Juíza Titular do I Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher RJ.

26/3, terça-feira, 19h

TEMA: “Estereótipos Femininos”

LEITURA de trechos de artigos

MESA:

Flavia Oliveira – Jornalista 

Joel Birman – Psicanalista, professor e ensaísta.

Heloísa Buarque de Holanda – Professora e ensaísta

Hildete Pereira de Mello – Economista e professora da UFF

COORDENADORA: Andrea Pachá – Juíza de Direito do TJRJ e escritora

27/3, quarta-feira, 19h

TEMA: “Violência Contra a Mulher - A Construção e desconstrução do Agressor”

LEITURA de trechos de artigos

MESA:

Adriana Ramos de Mello – Juíza Titular do I Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher RJ.

Arlanza Maria Rodrigues Rebello – Defensora Pública do Estado do Rio de Janeiro, aposentada.

Maria Rita Kehl – Psicanalista, jornalista, ensaísta, poetisa, cronista e crítica literária brasileira (a confirmar)

Schuma Schumaher – Pedagoga e ativista feminista, coordenadora executiva da ONG REDEH (a confirmar)

Coordenadora: Tula Mello – Juíza Direito da 20ª Vara Criminal da Capital, TJRJ.

Dias 27, 26 e 27, segunda a quarta às 19h
Entrada Franca | Senhas distribuídas às 18h30min
 

TEATRO NA JUSTIÇA

Por Elas - Até que a morte nos separe
Em homenagem ao mês da mulher o CCMJ apresenta o espetáculo POR ELAS. A peça aborda a realidade de mulheres que sofrem violência na relação com seus parceiros e as dificuldades psíquicas, jurídicas, familiares, sociais e culturais encontradas para conseguirem romper o “ciclo da violência”. Um grupo de mulheres desconhecidas entre si que, em comum, têm a violência na sua vida amorosa, está reunido para falar sobre suas histórias. Conforme os relatos vão acontecendo, os conflitos, preconceitos, a dor e a própria violência surgem no grupo. Baseada em fatos reais, cada uma das sete personagens femininas carrega histórias de outras tantas mulheres brasileiras. A autoria da peça de Ricardo Leite Lopes e Sílvia Monte, idealizadora do projeto e diretora do espetáculo.

O elenco é composto por Adriana Seiffert, Ana Flávia Bichuettes, Elisa Pinheiro, Letícia Vianna, Renata Guida, Rosana Prazeres, Natália Balbino, Lucas Gouvêa.

Dias: 28, 29 e 30. Quinta a sábado, às 19h

Entrada Franca | Senhas distribuídas às 18h30min | Duração: 1h20min| Recomendação etária: 14 anos

 

Por Programa

APJ-Niterói

MOSTRA DOCUMENTOS JUDICIAIS

Da Resistência à Liberdade
Transcorridos 130 anos da Abolição da Escravatura no Brasil, a mostra apresenta documentos judiciais – ações civis de liberdade, autos processuais de crimes e insurreições praticadas por escravos –  e propõe uma reflexão acerca do papel exercido pelo escravo na luta pela superação deste capítulo da nossa história.

Agendamento de grupos no Educativo CCMJ-Rio, por telefone 3133-3366/3133-3368 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br | Entrada franca | 2º Andar – Espaço Multiuso