Carlos Chagas

 

Carlos Ribeiro Justiniano Chagas nasceu em 9 de julho de 1878, na cidade de Oliveira, no estado de Minas Gerais. Teve por pais José Justiniano Chagas e Mariana Candida Ribeiro de Castro Chagas. Estudou no Colégio São Luís, em Itu, e no Ginásio São Francisco, em São João del-Rei. Em 1903, bacharelou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.

Em 15 de março de 1904, foi nomeado médico do Diretoria-Geral de Saúde Pública (DGSP). Logo, destacou-se nos estudos e no combate à malária, que vieram a lhe angariar reconhecimento no I Congresso Internacional de Paludismo, realizado em 1925, na cidade de Roma.

Pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz, desde março de 1908, descobriu uma nova doença humana, causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, posteriormente denominada doença de Chagas. De ampla repercussão nos meios médicos brasileiros, a enfermidade gerou também grande interesse na Exposição Internacional de Higiene e Demografia, realizada em 1911, na cidade de Dresden. No ano seguinte, foi agraciado com o Prêmio Schaudinn de protozoologia, concedido pelo Instituto de Doenças Marítimas e Tropicais de Hamburgo, e, em 1913, foi indicado ao Prêmio Nobel de Medicina.

Em 14 de fevereiro de 1917, foi nomeado diretor do Instituto Oswaldo Cruz, cargo que exerceu até o fim de sua vida. Diante do avanço devastador da gripe espanhola na Capital Federal, em 1918, assumiu, a convite do presidente da República Wenceslau Braz, a responsabilidade de liderar a assistência médica à população, providenciando a instalação de hospitais emergenciais e postos de consulta em diferentes partes da cidade.

Em 1º de outubro de 1919, tornou-se titular da DGSP, transformada, no ano seguinte, em Departamento Nacional de Saúde Pública. Em 1921, foi indicado novamente oa Prêmio Nobel de Medicina, e, em 24 de abril de 1925, nomeado professor catedrático de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade do Rio de Janeiro.

Faleceu em 8 de novembro de 1934, na cidade do Rio de Janeiro, em decorrência de problemas cardíacos.