O Bom Samaritano

 

Placa em fibra, de tom ocre, representando em baixo relevo figura de um cavalo em cujo lombo está apoiada uma pessoa, amparada lateralmente por outras duas figuras humanas, sendo a da esquerda um juiz (como autorretrato).

Material/técnica: Fibra de poliéster, resina e madeira talhada.

Medidas: 147,3cm altura x 106cm largura x 3cm comprimento

I – O Bom Samaritano

"Como devo alcançar a vida eterna?

Perguntou a Jesus doutor da lei.

A lei não manda amar a Sempiterna.

Luz e ao próximo como à própria grei?

Quem é o próximo? A prole materna, O amigo, e o inimigo que odiei? Samaritano da aversão paterna? Qualquer que sofra e a quem já despresei?

- Sim! O levita e até o sacerdote, indiferentes aos gritos do lesado, que os ladrões despojaram de seu dote, Aprendam nesse gesto de ternura, de suavizar-lhe a dor e o haver tratado, o amor do irmão, por quem pagava a cura."

Lucas 10:30,37

E Jesus, retornando a palavra disse: Um homem descia de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos ladrões, que o despojaram (do que levava): e, tendo-lhe feito feridas, utilizaram-se deixando-o meio morto.

Ora aconteceu que passava pelo mesmo caminho um sacerdote, o qual, quando o viu, moveu-se, ligou-lhe as feridas, lançando nelas azeite e vinho; e, pondo-o sobre o seu jumento, levou-o a uma estalagem, e teve cuidado dele. E no dia seguinte tirou dois dinheiros, e deu-os ao estalajadeiro, e disse-lhe: tem cuidado dele: e quanto gostares a mais, eu to satisfarei quando voltar.

Qual destes três te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos ladrões? E ele respondeu: O que usou com ele de misericórdia. Então Jesus disse-lhe: Vai, e faze tu o mesmo.

Aplica-se à parábola da fraternidade humana o tema da justiça tutelar. Ao invés do estalajadeiro, apresenta-se a figura do juiz (autorretrato) para receber do Bom Samaritano a vítima dos ladrões. O juiz é quem se propõe a administrar, à vítima do crime, o remédio do direito fazendo com que trinfe o bem da vida e obstando que a violência se propague e a sucumba. A placa, que foi a primeira da série a ser gravada, esteve exposta no salão da sociedade dos artistas nacionais, de novembro a dezembro de 1967 e obteve ali o prêmio de medalha de ouro.

Muito me apraz oferecer este painel ao Desembargador Julio Alberto Alvares para demonstrar o quanto admiro o seu valor de cidadão e magistrado.

As parábolas, Deocleciano Martins de Oliveira