Hall de Entrada e Vitral Deusa Têmis

Fotografia do hall de entrada do Museu da Justiça do Rio de Janeiro.

O Hall de Entrada

A entrada principal do Antigo Palácio da Justiça é marcada pela elegância da escadaria de acesso ao primeiro andar, onde se destacam duas grandes estátuas em mármore, a Justiça e a Lei, atribuídas ao escultor francês Max Ferré, cedidas pela Chancelaria do Itamaraty ao Tribunal de Apelação do Distrito Federal, na presidência do desembargador Vicente Ferreira da Costa Piragibe (1937-1940).

Uma representa a Lei, portando, as tábuas que desde a Antiguidade simbolizam o poder das leis escritas e a outra, a Justiça, com seus atributos tradicionais que são a balança e a espada, expressando a justiça comutativa e a justiça equitativa. Os degraus apresentam pisos em granito preto São Gabriel e espelhos em mármore branco, que foram submetidos a reparos e substituições na grande reforma de 2009-2010.

Vitral Deusa Têmis

Em vitral, de autoria do artista Gastão Formenti, ao fundo, ornado com folhas de louro, festões, laços e rosas coloridas, destaca-se a figura feminina que evoca a iconografia relativa às deusas gregas Têmis e Diké, associadas às concepções de justiça divina e humana. A balança representa o equilíbrio entre os direitos das partes conflitantes e a equivalência entre o crime e a pena. O leão é um símbolo do poder e da justiça, e o escudo representa a proteção legal, sendo associado aos atributos de virtude, força e vitória.