Agenda Setembro

Por Programa

APJ-RJ

EXPOSIÇÃO

NUNCA ME CALAREI

“Nunca me calarei”, do artista Márcio Freitas, é uma mostra fotográfica de rostos de mulheres brasileiras que sofreram alguma forma de assédio, tentativa ou abuso sexual. As fotos expõem nos olhares de cada uma das vítimas, dor, medo, mágoa e raiva, dando voz a quem durante muito tempo se manteve calada, devido a bloqueios sociais ou emocionais. O projeto nasceu da vontade do fotógrafo carioca captar, além da dor física, as marcas deixadas na alma e refletidas nos olhos de cada vítima desse tipo de violência. E é um convite a outras mulheres para que não se calem diante de qualquer forma de violência.

Visitação: até 31 de outubro

De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h e sábado, das 13h às 17h | Salão dos Passos Perdidos – 2º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: 14 anos | Agendamento de grupos e escolas: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

EXPOSIÇÃO

Mostra de documentos judiciais: O Assassinato de Ângela Diniz

O assassinato da socialite Ângela Diniz pelo seu companheiro Raul Fernando do Amaral Street (Doca Street), em 1976, gerou uma ampla discussão nacional acerca da violência contra as mulheres. No decorrer do julgamento foi evocada a tese da legitima defesa da honra. Doca foi condenado a apenas 2 anos de prisão e solto em razão da suspensão condicional da pena. Grupos feministas, então, criaram o bordão “quem ama não mata”, que se tornou marca da luta contra a violência doméstica e familiar. Em meio a pressão da opinião pública, um novo julgamento foi realizado em 1981. Doca Street foi condenado a 15 anos de prisão, contudo, obteve liberdade condicional em 1987.

Visitação: até 31 de outubro

De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h, e sábado, das 13h às 17h | Salas Cenográficas 307 e 309 – 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: 14 anos |Agendamento de grupos e escolas: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

EXPOSIÇÃO

ABSURDOS INSUSTENTÁVEIS – A Arte como Agente Transformador na Preservação do Meio Ambiente

O CCMJ - Museu da Justiça-Centro Cultural do Poder Judiciário, em comemoração ao mês do Meio Ambiente, recebe, até 14 de dezembro (de segunda a sábado), a exposição “Absurdos Insustentáveis – a Arte como Agente Transformador na Preservação do Meio Ambiente”, que reúne obras criadas pelo artista Alexandre Pinhel a partir de resíduos sólidos, tem a curadoria de Isabela Francisco.

“ABSURDOS INSUSTENTÁVEIS” é uma exposição que visa mostrar a violência humana contra a natureza ameaçada. (Isabela Francisco)

O autor da exposição, Alexandre Pinhel, usa métodos químicos, mecânicos e térmicos para misturar resíduos de diversas tecnologias de impressão 3D com resíduos tradicionais de plástico, vidro, madeira e metal. Essas obras ocultam do observador as matérias primas originais, fazendo com que este se surpreenda ao saber do que são feitas. A exposição contará também com uma impressora 3D confeccionando esculturas ao vivo.

Visitação: até 14 de dezembro

De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h, e sábado, das 13h às 17h | Salão dos Espelhos – 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Agendamento de grupos e escolas: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

VISITA MEDIADA

DA PEDRA AO PALÁCIO – Um percurso interativo ao encontro da Justiça

Conduzida por arte-educadores, a visita apresenta à população – de forma lúdica, dinâmica e interativa – a arquitetura, a história e as funções do Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro. De espaço em espaço, a pedra é esculpida em jogos com os visitantes estimulando a reflexão sobre o significado da Justiça e da sua importância na vida em sociedade. No percurso aos diversos salões e tribunais históricos os visitantes têm a chance de participar de um julgamento teatralizado no Salão Histórico do I Tribunal do Júri e conhecer como se dá o funcionamento de um júri.

Recomendada para turmas de ensino médio, faculdades e outros grupos.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Número de visitantes: 40 pessoas | Duração: 1h30min | Agendamento de grupos e escolas: 3133 – 3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

MÚSICA NO MUSEU

VOCAL MISCELÁNEA (ARGENTINA)

O grupo Vocal Miscelánea foi criado na cidade de Buenos Aires em 2011 e conta com 27 cantores provenientes de várias cidades e diferentes profissões. O grupo já se apresentou por todo o país e obteve prêmios nos concursos dos quais participou. Dentre eles, o segundo lugar no Prêmio “Certamen Coral de Musica Popular”, em Santa Fé, onde também obteve o primeiro lugar pela escolha do público. Em 2016 gravou seu primeiro CD, intitulado “Vocal Miscelánea”. Para esta apresentação o grupo vocal traz em seu repertório obras de Astor Piazzolla e David Azurza, dentre outros.

3 de setembro, terça-feira, às 12h30

Salão Histórico do I Tribunal do Júri – 2º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 12h | Duração: 60m | Lotação: 150 pessoas

 

MÚSICA NO PALÁCIO ESPECIAL

XII FESTIVAL BRASIL-ALEMANHA - Violoncelos do festival

Prof. convidado: Bernhard Lörcher / Prof. coordenador: Hugo Pilger

O Festival Internacional Brasil-Alemanha é resultado de uma parceria de sucesso entre três instituições: a Escola Superior de Música de Karlsruhe (Alemanha), a Escola de Música da UFRJ e o Instituto Villa-Lobos da UNIRIO, e conta ainda com o apoio do Deutscher Akademischer Austausch Dienst (DAAD). As inscrições para o Festival são gratuitas e estão abertas até o início de cada curso, através do formulário https://forms.gle/gYBmhk3xoATbEhg58. Nesse ano, os cursos ofertados são: oboé/música de câmara, com Petar Hristov; trombone, com Brandt Attema; violoncelo, com Bernhard Lörcher, piano, com Roberto Domingos e Kaya Han, instrução para canto, com Holger Spek, educação musical e preparação vocal, com Stephan Hoffmann, trompa e música de câmara com Will Sanders e piano/correpetição de Xiayi Yiang; e a prática de banda sinfônica, com Will Sanders, além do curso de percussão com Isao Nakamura. Essa apresentação no CCMJ finaliza o curso de violoncelo e conta com obras do repertório do violoncelo, utilizadas com o próposito artístico-acadêmico.

Bernhard Lörcher, violoncelo

Natural de Freiburg, desde muito jovem atuou em orquestras juvenis por toda a Europa. Estudou em Karlsruhe com o Prof. Martin Ostertag e completou sua formação em música de câmara em Viena, com o Quarteto Alban Berg e o Trio Haydn de Viena. Participou de vários grupos camerísticos e em diversos festivais de música, com concertos em toda a Europa. Em 1994, foi vencedor do primeiro prêmio no concurso Mendelssohn, em Berlim. Desde 1999, atua como violoncelista da Filarmônica de Stuttgart, e desde 2001 como violoncelista principal, na mesma orquestra. Veio ao Brasil pela primeira em 2006, e desde então tem atuado no país como professor, palestrante e solista em vários festivais e cursos.

Hugo Pilger, violoncelo (professor coordenador)

Doutor em música pela UNIRIO, é natural de Porto Alegre-RS. Estudou com Márcio Malard e formou-se no curso de Bacharelado da UNIRIO, na classe do professor Alceu Reis. Como solista, se apresentou à frente de inúmeras orquestras brasileiras. Realizou turnês em diversos países da Europa, América do Sul e do Norte. É primeiro violoncelo da Orquestra Petrobras Sinfônica, membro do Quarteto Radamés Gnattali e professor da classe de violoncelo da UNIRIO. Recentemente lançou o CD duplo, DVD e BluRay intitulado Presença de Villa-Lobos na Música Brasileira para Violoncelo e Piano com a pianista Lúcia Barrenechea. É autor do livro Heitor Villa-Lobos, o violoncelo e seu idiomatismo.

6 de setembro – sexta-feira, às 19h

Salão Nobre – 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 18h30m | Duração: 60m | Lotação: 50 pessoas

 

CLUBE “LEITURAS NO PALÁCIO”

DO DIREITO À LITERATURA – ENCONTROS LITERÁRIOS INTERDISCIPLINARES

O Museu da Justiça - Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ) apresenta o programa “Do Direito à Literatura – Encontros Literários Interdisciplinares”. Durante o programa, serão discutidos os vínculos entre o Direito e as demais Humanidades (Literatura, Filosofia, Sociologia, Psicologia, História, etc.).

Neste primeiro encontro, no dia 9 de setembro – que inaugura a criação do Clube “Leituras no Palácio” – serão tematizadas relações entre o Direito e a Literatura, em especial os sentidos da reflexão do crítico e professor Antonio Candido, no ensaio “O direito à literatura”, em que considera a literatura um bem que não pode ser negado a ninguém, tal qual a alimentação, a educação, a saúde, a liberdade individual, o amparo à justiça pública e a resistência à opressão, dentre outros.

Amparados em trechos das obras da filósofa e professora de Direito e Ética, Martha Nussbaum, da antropóloga Michèle Petit e do poeta Ezra Pound, também será abordado o direito à literatura, tendo-o em conta como algo essencial à formação da personalidade humana, ao amplo estímulo da empatia, e ao desenvolvimento da opinião e do pensamento críticos individuais, indispensáveis ao pleno exercício da cidadania.

No segundo encontro, no dia 23 de setembro, os integrantes do Clube escolherão outra obra e tema para discussão e assim se dará o desenvolvimento do programa. A cada encontro um novo desafio à reflexão e à sensibilidade.

Os encontros quinzenais no APJ-Rio, sempre às segundas-feiras, contarão com a presença do Educativo do CCMJ e a colaboração do poeta W. B. Lemos, Doutor em Literatura Comparada, Mestre em Literatura Brasileira pela UERJ e instrutor da Escola de Administração Judiciária (ESAJ).

Atenção: atividade não registrada para pontuação como atividade de capacitação da ESAJ.

Dias: 9 e 23 de setembro – segunda-feira, às 18h30m

Salão Nobre – 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Duração: 1h30m | Número de participantes: 40 pessoas. Inscrições e informações: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

CONCERTOS DE CÂMARA

MÚSICA NO PALÁCIO – Violões da UFRJ

Formado em 2003 a partir da iniciativa do professor Bartholomeu Wiese, o grupo Violões da UFRJ tem em sua formação instrumental cavaquinho, bandolim, violões de 6 cordas e violões de 7 cordas, e por conta desta diversidade de instrumentos, serão tocados arranjos próprios para esta formação específica do grupo. Na coordenação e direção artística do grupo estão Bartholomeu Wiese e Celso Ramalho. No repertório consta obras de compositores como Jacob do Bandolim, Pixinguinha, Tom Jobim, Adamo Prince, entre outros.

Curadoria artística: Escola de Música da UFRJ

10 de setembro – terça-feira, às 19h

Sala Multiuso – Térreo, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 18h30| Duração: 50m | Lotação: 60 pessoas

 

MÚSICA NO PALÁCIO ESPECIAL

XII FESTIVAL BRASIL-ALEMANHA - Apoteose dos Trombones

Prof. convidado: Brandt Attema / Prof. coordenador: João Luiz Areias

O Festival Internacional Brasil-Alemanha é resultado de uma parceria de sucesso entre três instituições: a Escola Superior de Música de Karlsruhe (Alemanha), a Escola de Música da UFRJ e o Instituto Villa-Lobos da UNIRIO, e conta ainda com o apoio do Deutscher Akademischer Austausch Dienst (DAAD). As inscrições para o Festival são gratuitas e estão abertas até o início de cada curso, através do formulário https://forms.gle/gYBmhk3xoATbEhg58. Nesse ano, os cursos ofertados são: oboé/música de câmara, com Petar Hristov; trombone, com Brandt Attema; violoncelo, com Bernhard Lörcher, piano, com Roberto Domingos e Kaya Han, instrução para canto, com Holger Spek, educação musical e preparação vocal, com Stephan Hoffmann, trompa e música de câmara com Will Sanders e piano/correpetição de Xiayi Yiang; e a prática de banda sinfônica, com Will Sanders, além do curso de percussão com Isao Nakamura. Essa apresentação no CCMJ finaliza o curso de trombone, com o aclamado professor Brandt Attema, e conta com obras mundiais do repertório do trombone, originais e arranjos, utilizadas com o próposito artístico-acadêmico.

Brandt Attema, trombone

O trombonista baixo Brandt Attema é associado à Radio Filharmonisch Orkest desde 1999. Ele também é membro regular do Nederlands Blazers Ensemble e da Nieuw Trombone Collectief. Ele também foi substituído pelo conjunto Asko / Schoenberg e por muitas orquestras, incluindo a Orquestra Filarmônica de Roterdan. Em setembro de 1999, Brandt Attema venceu a competição internacional de trombone baixo em Guebwiller - França. Desde então, ele foi convidado como solista e professor em vários festivais de renome em todo o mundo. Desde setembro de 2007, Brandt Attema é professor de trombone baixo no Conservatório Real de Haia. Em julho de 2008, Brandt Attema estreou com sua dupla regular com a harpista Astrid Haring no World Harp Congress em Amsterdã. Como dupla, eles inspiram muitos compositores a escrever para esta combinação especial. Eles fizeram concertos no Brasil, Cingapura, Dinamarca, Suécia e Alemanha, entre outros.

João Luiz Areias, trombone (professor coordenador)

Professor da UNIRIO, ministrou cursos nos mais importantes festivais do Brasil, e foi Presidente da Associação Brasileira de Trombonistas (2003/2007), além de atuar como membro do Board of Advisers da International Trombone Association. Criador do Festival Internacional de Trombone da UNIRIO e coordenador do Festival Brasil-Alemanha, é 1º trombone da Orquestra Petrobras Sinfônica e atua como camerista junto ao Art Metal Quinteto. Bacharel pela UFRJ e Mestre pela UNIRIO onde cursa seu Doutorado.

13 de setembro – sexta-feira, às 19h

Salão Histórico do I Tribunal do Júri – 2º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 18h30m | Duração: 60m | Lotação: 150 pessoas

 

MÚSICA NO PALÁCIO ESPECIAL

XII FESTIVAL BRASIL-ALEMANHA - Grupo de Trompas da EM/UFRJ

Prof. convidado: Will Sanders / Prof. coordenador: Philip Doyle

O Festival Internacional Brasil-Alemanha é resultado de uma parceria de sucesso entre três instituições: a Escola Superior de Música de Karlsruhe (Alemanha), a Escola de Música da UFRJ e o Instituto Villa-Lobos da UNIRIO, e conta ainda com o apoio do Deutscher Akademischer Austausch Dienst (DAAD). As inscrições para o Festival são gratuitas e estão abertas até o início de cada curso, através do formulário https://forms.gle/gYBmhk3xoATbEhg58. O grupo de trompas da EM/UFRJ conta com alunos e ex-alunos da Escola, e se apresenta regularmente em diversos espaços do Rio de Janeiro e outras partes do País.

Will Sanders, trompa

Natural de Venlo, na Holanda. Estudou trompa em Maastricht com H.Crüts e E. Penzel. Participou da Orquestra de Jovem na União Europeia. Atuou na Orquestra Nacional de Opera de Mannheim, na Orquestra Sinfônica de Baden/Baden, e na Orquestra Sinfônica da Rádio de Baviera. De 1992 a 1997 foi solista do Festival de Bayreuth. Colaborou com as principais orquestras alemãs dirigidas pelos mais conceituados maestros, tendo sido músico convidado da Orquestra Filarmônica de Viena. Atuou sob a direção de grandes nomes da regência como Claudio Abbado, Lorin Maazel, Georg Solti, Marins Janssons, James Levine e Daniel Baremboin, entre outros. Em 1999 começou a ministrar as disciplinas de trompa e música de câmara como professor catedrático da Escola Superior de música de Karlsruhe. Atualmente é professor de trompa na Escola Superior de Música de Karlsruhe.

Philip Doyle, trompa

Radicado no Brasil desde 1977, Philip começou seus estudos de trompa na Inglaterra com Adrian Leaper em 1973. Aulas com Norman Schweikert, Gregory Hustis , Roland Pandolfi, Hermann Baumann , Frank Lloyd e Vladimira Klanská aprimoraram seus estudos. Formou-se na classe do Prof. Zdenék Svab na Uni-Rio, obtendo o título de Mestre em Música pela Escola de Música da U.F.R.J. Philip é trompista solista da Orquestra Petrobrás Sinfônica, e da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. É membro do Quinteto Villa-Lobos. Philip é também membro do Trio Universidade, um grupo formado em 2017 para divulgar obras para oboé, trompa e piano. Desde 2010, Philip é professor de trompa na Escola de Música da U.F.R.J., e leciona nos principais festivais de música do país.

17 de setembro – terça-feira, às 19h

Sala Multiuso – Térreo, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 18h30m | Duração: 60m | Lotação: 60 pessoas

 

 

MÚSICA NO PALÁCIO ESPECIAL

XII FESTIVAL BRASIL-ALEMANHA - Grupo Horn Brasil & convidados

Prof. convidado: Will Sanders, Adalto Soares, Radegundis Tavares, Lucas Soares / Prof. coordenador: Tiago Carneiro

O Festival Internacional Brasil-Alemanha é resultado de uma parceria de sucesso entre três instituições: a Escola Superior de Música de Karlsruhe (Alemanha), a Escola de Música da UFRJ e o Instituto Villa-Lobos da UNIRIO, e conta ainda com o apoio do Deutscher Akademischer Austausch Dienst (DAAD). As inscrições para o Festival são gratuitas e estão abertas até o início de cada curso, através do formulário https://forms.gle/gYBmhk3xoATbEhg58. Nesse ano, estará ocorrendo o ENCONTRO NACIONAL DE TROMPISTAS dentro das atividades do XII FestiBRAL. Essa apresentação no CCMJ conta com a participação do Grupo Horn Brasil, coordenado pelos professores Adalto Soares e Lucas Soares, bem como participa também Radegundis Tavares, professor de trompa da EM/UFRN.

Will Sanders, trompa (Escola Superior de Música de Karlsruhe)

Natural de Venlo, na Holanda. Estudou trompa em Maastricht com H.Crüts e E. Penzel. Participou da Orquestra de Jovem  na União Europeia. Atuou na Orquestra Nacional de Opera de Mannheim, na Orquestra Sinfônica de Baden/Baden, e na Orquestra Sinfônica da Rádio de Baviera. De 1992 a 1997 foi solista do Festival de Bayreuth. Colaborou com as principais orquestras alemãs dirigidas pelos mais conceituados maestros, tendo sido músico convidado da Orquestra Filarmônica de Viena. Atuou sob a direção de grandes nomes da regência como Claudio Abbado, Lorin Maazel, Georg Solti, Marins Janssons, James Levine e Daniel Baremboin, entre outros. Em 1999 começou a ministrar as disciplinas de trompa e música de câmara como professor catedrático da Escola Superior de música de  Karlsruhe. Atualmente é professor de trompa na Escola Superior de Música de Karlsruhe.

Adalto Soares, trompa (Escola de Música da UFRN)

Doutor pela UFBA, é professor de trompa da Escola de Música da UFRN. Atua constantemente como professor convidado e solista com importantes orquestras do Brasil e do exterior. Com a Orquestra de Metais Lyra Tatuí, excursionou três vezes pela Europa, sendo um dos destaques do Festival junger Künstler Bayreuth. Professor do Encontro Internacional de Metais da Universidade de La Serena, Chile; Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão; Brasília; Londrina; Tatuí; Goiás; Diretor Artístico do Coreto Paulista - Festival de Bandas e Encontro de Maestros e Lideranças de Bandas do Estado de São Paulo - Serra Negra 2009 e 1º Encontro de Educação Musical por Meio da Banda - Tatuí 2010. Lecionou no Conservatório Dramático Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí. Construtor e restaurador de Instrumentos de Metal desde 1995, com especialização em Horn Building e Brass Technology pela William Cummings House com o Professor Lowell Greer, Toledo, Ohio.

Radegundis Tavares, trompa (Escola de Música da UFRN)

Bacharel, Mestre e Doutor em Música pela UFPB (2008, 2013 e 2016). Atualmente é Professor de 1° e 2° Graus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino de instrumento, Música brasileira popular, Ensino de trompa. Com 12 anos fez sua estreia como solista se apresentando com a Orquestra Infanto-Juvenil da UFPB. Aos 15 anos, ganhou menção honrosa no sexto prêmio Weril e estreou como solista no Teatro Municipal de São Paulo interpretando as Variações sobre “O Carnaval de Veneza”, de Jean-Baptiste Arban. Desde então, tem se apresentado como solista, camerista e instrumentista de orquestra em importantes centros musicais do Brasil. Gravou e lançou dois CDs: com o pianista José Henrique Martins o CD intitulado “Universal”, com obras para trompa e piano; e “Radegundis Tavares” com José de Andrade Júnior (piano) e Dennis Bulhões (bateria), contemplando especialmente a música popular brasileira.

20 de setembro – sexta-feira, às 19h

Salão Histórico do I Tribunal do Júri – 2º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 18h30m | Duração: 60m | Lotação: 150 pessoas

 

MÚSICA NO MUSEU

ÉRICO BONFIM

Érico Bomfim é bacharel em piano e mestre em música pela UFRJ. Em sua pesquisa acadêmica, dedica-se a investigar a música escrita por Rosemary Brown, também priorizada em seus recitais. Para a apresentação, teremos um repertório que traz Brown em composições com Schubert e Lizst.

23 de setembro – segunda-feira, às 12h30

Salão Nobre – 2º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 12h | Duração: 60m | Lotação: 50 pessoas

 

OFICINA

ACERVOS CONECTADOS – Visita técnica ao acervo

Nesta oficina, o visitante tem a oportunidade de conhecer as atividades de preservação, organização, guarda e disponibilização dos acervos históricos do Poder Judiciário fluminense. Museólogos, arquivistas, historiadores e educadores apresentam o trabalho desenvolvido na instituição e também o acervo composto por figurinos de espetáculos teatrais, autos de crimes de grande repercussão, processos da nobreza e família Imperial brasileira, ações de liberdade de escravos e outros documentos em formato textual e audiovisual, além de objetos e obras de arte que guardam a memória Justiça no estado do Rio de Janeiro.

Recomendada para turmas de ensino médio, faculdades e outros grupos.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Número de visitantes: 20 pessoas | Duração: 1h30min | Agendamento de grupos e escolas: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

13ª PRIMAVERA DOS MUSEUS

MUSEUS POR DENTRO, POR DENTRO DOS MUSEUS

De 23 a 29 de setembro de 2019 acontecerá a 13ª Primavera dos Museus, organizada pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), chamando a comunidade para refletir, discutir e trocar experiências sobre o tema “Museus por dentro, por dentro dos museus”. A cada ano, o Ibram lança um tema para estimular o debate acerca do assunto e inspirar as instituições participantes na programação de seus eventos que podem ser seminários, exposições, oficinas, visitas mediadas, exibições de filmes, palestras, entre outras atividades.

A 13ª Primavera dos Museus propõe fortalecer a relação públicos/museu a partir da ótica da preservação enquanto ato compartilhado entre o cidadão e o seu bem cultural. O tema permite explorar os aspectos do cotidiano museológico aplicados aos diversos métodos aos quais as coleções/museus são submetidas no constante processo de formação, organização, conservação e exposição para interação e fruição pelas pessoas ou grupos sociais. A programação pode ser consultada aqui: http://programacao.museus.gov.br/

Entrada franca | Classificação indicativa: 12 anos | Número de visitantes: 20 pessoas

Agendamento de grupos e escolas: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

CURSO LIVRE DE PINTURA

FAZENDO ARTE

O CCMJ, Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário, em parceria com a ABATERJ, oferece o curso livre de pintura “FAZENDO ARTE”, sob a orientação da artista plástica, Isabela Francisco.

Turmas abertas: terças e quintas-feiras, sempre das 8h45 às 10h45, máximo 20 alunos por turma.

O curso será gratuito, entretanto, o material individual deve ser providenciado pelos participantes.

Inscrições e informações pelo site: https://abaterj.com.br/fazendoarte.

Atenção: curso não registrado para pontuação como atividade de capacitação da ESAJ.

Curso gratuito | Classificação indicativa: Livre | APJ-Rio, Rua Dom Manuel, 29, 1º Andar – Sala 118

Informações: CCMJ / 3133-3768, e-mail: ccmj@tjrj.jus.br | E ABATERJ / 3133-4010 / 3133-4051

 

 

Magistrados, servidores, colaboradores e interessados podem reservar lugares pelos ramais 3366 e 3368. As reservas serão válidas até 15 minutos antes do início do espetáculo, após o horário os assentos serão liberados para o público.

 

Por Programa

APJ-Niterói

MOSTRA DE DOCUMENTOS JUDICIAIS

DA RESISTÊNCIA À LIBERDADE – o protagonismo do escravo

A mostra propõe uma reflexão acerca do verdadeiro papel dos negros escravizados na busca pela libertação. O visitante poderá ver os originais de processos cíveis e criminais, como a famosa insurreição de Vassouras, cujo desfecho foi a execução do líder Manoel Congo na forca e ações de liberdade, em que os escravizados precisavam de um curador para levar, à apreciação da justiça, argumentos em prol de sua alforria. Tais documentos mostram formas de resistência exercidas por personagens pouco valorizados pela história tradicional, mas que decidiram lutar para escrever seus próprios destinos.

Os autos de processos e livros de registros expostos foram restaurados e digitalizados pela equipe do Serviço de Acervo Textual, Audiovisual e de Pesquisas Históricas e também podem ser consultados, via internet, por qualquer pesquisador. Basta acessar o terminal de consulta no Portal do CCMJ (http://ccmj.tjrj.jus.br/acervo) e digitar “da resistência a liberdade”.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir 12 anos | Número de visitantes: 40 pessoas

Informações: 3002-4284 e 3002-4285 | 2º andar – Espaço Multiuso – APJ-Niterói

Agendamentos de grupos no Serviço de Museologia do CCMJ, por telefone 3133-3814 ou e-mail ccmj.seami@tjrj.jus.br

 

VISITA MEDIADA

DA PEDRA AO PALÁCIO – Um percurso interativo ao encontro da Justiça

Conduzida por arte-educadores, a visita apresenta à população – de forma lúdica, dinâmica e interativa – a arquitetura, a história e as funções do Antigo Palácio da Justiça Niterói (1920) e estimula o visitante a refletir, cultivar e disseminar valores de Justiça. De espaço em espaço, a pedra é esculpida em jogos com os visitantes estimulando a reflexão sobre o significado da Justiça e da sua importância na vida em sociedade.

Recomendada para turmas de ensino médio, faculdades e outros grupos.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 10 anos | Número de visitantes: 40 pessoas | Duração: 1h20

Agendamento de grupos e escolas: 3133 – 3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br