Agenda Julho

Por Programa

APJ-RJ

EXPOSIÇÃO

ABSURDOS INSUSTENTÁVEIS – A Arte como Agente Transformador na Preservação do Meio Ambiente

O CCMJ – Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário, em comemoração ao mês do Meio Ambiente, recebe, de 31 de maio a 31 de agosto (segunda a sábado), a exposição “Absurdos Insustentáveis – a Arte como agente transformador na preservação do Meio Ambiente”, que reúne obras criadas pelo artista Alexandre Pinhel a partir de resíduos sólidos, tem a curadoria de Isabela Francisco.

“ABSURDOS INSUSTENTÁVEIS” é uma exposição que visa mostrar a violência humana contra a natureza ameaçada. (Isabela Francisco)

O autor da exposição, Alexandre Pinhel, usa métodos químicos, mecânicos e térmicos para misturar resíduos de diversas tecnologias de impressão 3D com resíduos tradicionais de plástico, vidro, madeira e metal. Essas obras ocultam do observador as matérias primas originais, fazendo com que este se surpreenda ao saber do que são feitas. A exposição contará também com uma impressora 3D confeccionando esculturas ao vivo.

Visitação: até 31 de agosto.

Entrada franca. Classificação indicativa: Livre

De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h e sábado, das 13h às 17h, Salão dos Espelhos – APJ-Rio

Agendamento de grupos e escolas: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

 

MÚSICA NO MUSEU

DUO MADRI

O Música no Museu é um projeto com mais de 20 anos de atuação na música clássica e contemporânea. Para o dia 4 de julho, apresentaremos o Duo Madri, formado pelas violonistas Adriana Ballesté e Mara Lúcia Ribeiro, amigas desde a faculdade, época onde participaram da Orquestra de Violões do Rio de Janeiro, sob a direção de Turíbio Santos. Adriana é doutora em Musicologia e atua intensamente nessa área, já Mara Lucia se especializou na Espanha em violão flamenco.

No repertório poderemos ouvir um programa extenso e variado, desde Johann Sebastian Bach até os espanhóis Isaac Albéniz e Manuel de Falla.

Dia: 4 de julho – quinta-feira, às 12h30

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 12h | Duração: 50m | Salão Nobre | Lotação: 50 pessoas

 

VISITA MEDIADA

DA PEDRA AO PALÁCIO – Um percurso interativo ao encontro da Justiça

Conduzida por arte-educadores, a visita apresenta à população – de forma lúdica, dinâmica e interativa – a arquitetura, a história e as funções do Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro. De espaço em espaço, a pedra é esculpida em jogos com os visitantes estimulando a reflexão sobre o significado da Justiça e da sua importância na vida em sociedade. No percurso aos diversos salões e tribunais históricos os visitantes têm a chance de participar de um julgamento teatralizado no Salão Histórico do I Tribunal do Júri e conhecer como se dá o funcionamento de um júri.

Recomendada para turmas de ensino médio, faculdades e outros grupos.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 10 anos | Número de visitantes: 40 pessoas | Duração: 1h30min

Agendamento de grupos e escolas: 3133 – 3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

 

CONCERTOS DE CÂMARA

MÚSICA NO PALÁCIO – Pro Cantus

O grupo Pro Cantus foi criado com o intuito de promover recitais temáticos, abordando dessa maneira uma ampla gama de repertórios que possam ser executados por um pequeno grupo de cantores acompanhados pelo piano. O grupo é formado por alunos e ex-alunos da Escola de Música da UFRJ, tendo como integrantes os cantores Michele Ramos (soprano), Helena Lopes (mezzo-soprano), Paulo Ribeiro (tenor) e André Novaes (barítono), e o pianista Hector Coutinho. Como tema para a estreia foram escolhidas as canções de Villani-Côrtes, pela beleza e singularidade de suas composições, cujas melodias e letras traduzem a riqueza do repertório nacional.

Curadoria artística: Escola de Música da UFRJ

Dia: 9 de julho – terça-feira, às 19h

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 18h30min | Duração: 1h | Salão Nobre | Lotação: 50 lugares

 

CONCERTOS DE CÂMARA

MÚSICA NO PALÁCIO – Uma educação incompleta

Ópera Studio UFRJ, projeto discente interdisciplinar, que reúne alunos das Escolas de Música, Comunicação, Belas Artes e Educação Física e Desportos, apresenta a opereta Uma Educação Incompleta, de Emmanuel Chabrier, em forma de concerto. Sinopse: Gontran é um menino rico que sempre teve uma educação de extrema qualidade e abrangência. Porém, quando é casado do dia para noite com sua prima, Hélène, ele percebe que não tem conhecimento sobre certos assuntos primordiais para a noite de núpcias. Sua educação está incompleta! É uma opereta cômica de um ato que através de seus personagens cativantes discute a importância da Educação Sexual na vida dos jovens.

Curadoria artística: Escola de Música da UFRJ

Dias: 23, 24, 25 e 26 de julho – terça a sexta-feira, às 19h

Entrada franca | Classificação indicativa: 12 anos | Senhas distribuídas às 18h30min | Duração: 55m | Sala Multiuso | Lotação: 50 lugares

 

CONCERTOS DE CÂMARA

MÚSICA NO PALÁCIO – O Gato de Botas

Ópera Studio UFRJ, projeto discente interdisciplinar, que reúne alunos das Escolas de Música, Comunicação, Belas Artes e Educação Física e Desportos, apresenta no CCMJ seus primeiros espetáculos. O programa destaca em forma de concerto a ópera O Gato de Botas, de Xavier Montsalvatge. Sinopse: Após a morte do pai, um jovem moleiro recebe de herança apenas um gato; mas não se trata de um animal comum: racional e falante, ele promete felicidade e fortuna a seu dono em troca de chapéu, espada e um par de botas. Nosso Gato de Botas é uma defesa desavergonhada dos livros e da imaginação. Tanto para crianças quanto para adultos.

Curadoria artística: Escola de Música da UFRJ

Dias: de 30 de julho a 2 de agosto – terça a sexta-feira, às 19h

Entrada franca | Classificação indicativa: 12 anos | Senhas distribuídas às 18h30min | Duração: 45m | Sala Multiuso | Lotação: 50 lugares

 

OFICINA

ACERVOS CONECTADOS – Visita técnica ao acervo

Nesta oficina, o visitante tem a oportunidade de conhecer as atividades de preservação, organização, guarda e disponibilização dos acervos históricos do Poder Judiciário fluminense. Museólogos, arquivistas, historiadores e educadores apresentam o trabalho desenvolvido na instituição e também o acervo composto por figurinos de espetáculos teatrais, autos de crimes de grande repercussão, processos da nobreza e família Imperial brasileira, ações de liberdade de escravos e outros documentos em formato textual e audiovisual, além de objetos e obras de arte que guardam a memória Justiça no estado do Rio de Janeiro. 

Recomendada para turmas de ensino médio, faculdades e outros grupos.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Número de visitantes: 20 pessoas | Duração: 1h30min

Agendamento de grupos e escolas: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

CURSO LIVRE DE PINTURA

Fazendo Arte

O CCMJ, Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário, em parceria com a ABATERJ, oferece o curso livre de pintura “FAZENDO ARTE”, sob a orientação da artista plástica, Isabela Francisco.

Turmas abertas: terças e quintas-feiras, sempre das 8h45 às 10h45, máximo 20 alunos por turma.

O curso será gratuito, entretanto, o material individual deve ser providenciado pelos participantes.

Inscrições e informações pelo site: https://abaterj.com.br/fazendoarte.

Atenção: curso não registrado para pontuação como atividade de capacitação da ESAJ.

Curso gratuito | Classificação indicativa: Livre | APJ-Rio, Rua Dom Manuel, 29, 1º Andar – Sala 118

Informações: CCMJ / 3133-3768  E-mail: ccmj@tjrj.jus.br | E ABATERJ / 3133-4010 / 3133-4051

 

Por Programa

APJ-Niterói

MOSTRA DE DOCUMENTOS JUDICIAIS

Da resistência à liberdade – o protagonismo do escravo

A mostra propõe uma reflexão acerca do verdadeiro papel dos negros escravizados na busca pela libertação. O visitante poderá ver os originais de processos cíveis e criminais, como a famosa insurreição de Vassouras, cujo desfecho foi a execução do líder Manoel Congo na forca e ações de liberdade, em que os escravizados precisavam de um curador para levar, à apreciação da justiça, argumentos em prol de sua alforria. Tais documentos mostram formas de resistência exercidas por personagens pouco valorizados pela história tradicional, mas que decidiram lutar para escrever seus próprios destinos.

Os autos de processos e livros de registros expostos foram restaurados e digitalizados pela equipe do Serviço de Acervo Textual, Audiovisual e de Pesquisas Históricas e também podem ser consultados, via internet, por qualquer pesquisador. Basta acessar o terminal de consulta no Portal do CCMJ (http://ccmj.tjrj.jus.br/acervo) e digitar “da resistência a liberdade”.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir 12 anos | Número de visitantes: 40 pessoas

Informações: 3002-4284 e 3002-4285 | 2º andar – Espaço Multiuso

Agendamentos de grupos no Serviço de Museologia do CCMJ, por telefone 3133-3814 ou e-mail ccmj.seami@tjrj.jus.br

 

 

DA PEDRA AO PALÁCIO – Um percurso interativo ao encontro da Justiça

Conduzida por arte-educadores, a visita apresenta à população – de forma lúdica, dinâmica e interativa – a arquitetura, a história e as funções do Antigo Palácio da Justiça Niterói (1920) e estimula o visitante a refletir, cultivar e disseminar valores de Justiça. De espaço em espaço, a pedra é esculpida em jogos com os visitantes estimulando a reflexão sobre o significado da Justiça e da sua importância na vida em sociedade.

Recomendada para turmas de ensino médio, faculdades e outros grupos.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Número de visitantes: 40 pessoas | Duração: 1h20

Agendamento de grupos no Educativo CCMJ, por telefone 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br   

 

 

PALÁCIO CONVIDA

Da Pedra ao Palácio e Quarteto de Cordas da UFF

Em comemoração ao centenário do Antigo Palácio da Justiça de Niterói, o CCMJ propõe uma programação casada: a visita mediada “Da Pedra ao Palácio” seguida de um concerto do Quarteto de Cordas da UFF. Da Pedra ao Palácio proporciona aos visitantes a oportunidade de conhecer um pouco da estória do prédio, sua arquitetura e curiosidades. O Quarteto de Cordas da UFF trará um repertório muito conhecido do grande público, com obras consagradas de Pixinguinha, Tom Jobim e Beethoven.

Dia: 11 de julho – quinta-feira, às 16h

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 15h30 | Tribunal Pleno – APJ-Niterói | Lotação: 60 pessoas